RÁDIOS
Campo Grande, 17 de agosto

Ônibus clandestino é flagrado na BR-060 transportando bolivianos

Fiscais da Agems, juntamente com Policiais Militares e da Polícia Federal, pararam o veículo durante fiscalização de rotina próxima à Sidrolândia

Por Isabelly Melo
04/08/2022 • 14h49
Compartilhar

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de MS (AGEMS) abordou três ônibus clandestinos na manhã desta quinta-feira (04), durante uma fiscalização de rotina na BR-060, em Sidrolândia. Os veículos estavam sem autorização da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) para realizarem a viagem.

Conforme o fiscal da AGEMS, Paulo Ferreira Rosa, a ANTT, órgão responsável por transportes interestaduais, foi acionada para dar apoio na fiscalização.

Entre as bagagens foi encontrada grande quantidade de alimentos e sementes

“Foi solicitado a documentação da ANTT, que o veículo vem de Bolívia para São Paulo, e os condutores não apresentaram nenhum documento referente a viagem. Diante disso foi acionado o pessoal da ANTT para que fizessem a apreensão dos veículos e o transbordo aqui na rodoviária de Campo Grande”, explicou.

Os veículos foram aprendidos e encaminhados para o pátio da Agência Nacional de Transporte Terrestre. Segundo Paulo, um dos veículos estava com três pneus sem condições de uso, além de passageiros estarem transportando sementes e alimentos em grandes quantidades.

“Foi acionado o pessoal do Ministério da Agricultura para que fizessem a inspeção desses produtos”, completou.

Ao todo, 97 pessoas embarcaram em Corumbá rumo à São Paulo, todos os passageiros são estrangeiros, sendo a maioria bolivianos. Eles terão a documentação verificada e, caso esteja correta, estão liberados para seguir viagem e a empresa será obrigada a comprar a passagem, em linha regular, para cada passageiro até a cidade de São Paulo.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande