Paranaíba, 05 de agosto(67)99272-4655

Moradores do Jardim Aeroporto reclamam de buracos

Conforme o empresário, este ano é o mais crítico com relação aos buracos

Por Talita Matsushita
20/03/2019 • 15h42
Compartilhar

Empresários do Jardim Aeroporto reclamam que têm perdido clientes por conta das más condições das ruas do bairro. Buracos se formaram devido a força da enxurrada que desce do Aeroporto municipal.

Paulo Junior de Souza, dono de uma oficina conta que há pelo menos 20 anos possui comércio no bairro e sempre sofre com os buracos. “Ninguém toma providência. O veículo pesado [caminhão] tem dificuldade de transitar por aqui”, disse.

Outras empresas também sofrem com o mesmo problema e Paulo  destaca que tem perdido clientes, pois não conseguem chegar até a oficina. “Este ano a Prefeitura não veio aqui e você liga eles falam que está na época das chuvas, não podem arrumar ou o maquinário não está aqui. Mas, passa o período da chuva eles também não vem”, enfatizou.

Paulo ainda disse que tem perdido clientes de forma constante, pois o caminhão chega carregado e quando vê os buracos não entra, pois pode haver danos no veículo. “A avenida traz o motorista para todos os lugares, tem oficina, borracharia, posto de combustível e auto elétrico”, pontuou.

Conforme o empresário, este ano é o mais crítico com relação aos buracos e faz um apelo para que desvie o local para onde a enxurrada desce.

Outro problema no local é o mato alto às margens da BR-158, que segundo Paulo, os empresários e funcionários de comércios das proximidades fazem a limpeza, pois segundo o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes), o órgão é responsável por até 30 centímetros da margem da rodovia; e a Prefeitura não faz a limpeza do local.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Cultura FM 106,3 - Paranaíba

VEJA MAIS