Paranaíba, 26 de setembro
30º C
(67)99272-4655

Paranaibense morre durante queima de fogos no RJ

Paulo Anderson Claro organizava os fogos para o show pirotécnico e estava na balsa com os fogos

Por Talita Matsushita
04/01/2016 • 11h34
Compartilhar

O paranaibense Paulo Anderson Pereira Claro, 28 anos, morreu afogado na Lagoa de Imboassica, em Macaé, no interior do Rio de Janeiro, na madrugada de sexta-feira, 1º. Paulo estava morando em Cabo Frio (RJ) e era funcionário da empresa, com sede em Paranaíba, InterFogos.

A vítima era um dos que organizavam os fogos para o show pirotécnico e estava na balsa para desconectar os equipamentos que já haviam sido utilizados na festa da virada do ano. O corpo foi encontrado no início da tarde de sexta-feira pelo Corpo de Bombeiros.

Segundo a Prefeitura de Macaé (RJ), o último contato com Paulo aconteceu 1h20 por mensagem enviada por celular. "Acredita-se que após concluir o trabalho, ele tenha resolvido entrar na Lagoa, já que seus pertences como roupas e documentos foram encontrados na balsa, o que descarta, a princípio, a possibilidade de queda acidental", afirma a nota oficial enviada pelo município, que lamentou o ocorrido e disse estar acompanhando o caso.

A empresa se pronunciou por meio de uma nota publicada em rede social em que diz que “com muita tristeza e pesar comunica a perca de um membro da Família InterFogos, Paulo Anderson”. 

A empresa diz que por motivos ainda desconhecidos, por volta de 1h ele estava sozinho recolhendo equipamento em um dos flutuantes depois do espetáculo pirotécnico no municipio de Macaé, quando outras pessoas chegaram ao local onde ele estava, só encontraram no flutuante seus documentos, celular, roupa, dando assim a suspeita que ele pulou na água por algum motivo desconhecido, pois não havia testemunhas no momento.

O corpo foi transladado para Paranaíba no domingo, 3, e o enterro ocorreu nesta segunda-feira.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Cultura FM 106,3 - Paranaíba

VEJA MAIS