Três Lagoas, 22 de setembro
28º C
(67) 99229-0519

Área da antiga Mabel é vendida e pode dar lugar a ponto comercial

Área tem 104 mil metros quadrados

Por Ana Cristina Santos
11/09/2021 • 17h15
Compartilhar

A área de 104 mil metros quadrados, onde funcionava a fábrica de biscoitos da antiga Mabel, no Distrito Industrial de Três Lagoas, foi vendida. A venda foi realizada por uma grande corretora de São Paulo. Segundo apurado pela reportagem, a compra será para uso do comprador, cuja identidade ainda não foi revelada. 

O terreno onde está essa área de 104 mil metros quadrados foi doado pela prefeitura para a instalação da fábrica Mabel, em 1998. Em 2011, a parte onde funcionava a fábrica foi comprada pela multinacional Pepsico, que em abril de 2019 anunciou o encerramento das atividades em Três Lagoas e demitiu 360 funcionários.

Após anúncio do fechamento da unidade que pertence à Pepsico, representantes de algumas empresas, entre elas de alimentação, procuraram a Secretaria de Desenvolvimento Econômico em busca de informações, porém não houve avanço na instalação de novos empreendimentos no local. 

Agora, com a compra dessa área, onde ainda existe a estrutura da antiga fábrica de biscoitos, abre-se a possibilidade de Três Lagoas receber um novo empreendimento. Por ser uma área no Distrito Industrial, a destinação do local só pode ser para fins comercial ou industrial, conforme prevê o Plano Diretor do município. A área que foi vendia na parte de frente da avenida Ranulpho Marques Leal, tem 378 metros lineares. O restante da área, nos fundos de onde está o prédio da antiga Mabel, também está à venda. No entanto, o restante do terreno pertence ao empresário Sandro Mabel. 

A área que foi doada pela prefeitura pode ser vendida porque é privada e devidamente escriturada pelo município. Em nota, a Pepsico, informou  que o processo de venda do imóvel ainda está em andamento e nenhum movimento foi concretizado. (matéria alualizada às 16h, do dia 15/09)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS