RÁDIOS
Três Lagoas, 22 de julho

Em 2022, Grupo RCN promoverá seminários em MS

Serão 10 conferências, três em Três Lagoas, e outras sete, em Campo Grande

Por Thiago Pires/Daiana Oliveira
14/11/2021 • 15h04
Compartilhar

O Grupo RCN de Comunicação, que engloba 13 veículos de comunicação multiplataforma, alcançando 3,5 milhões de pessoas nos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Minas Gerais, promoverá 10 eventos com palestras em 2022, com a temática voltada para o avanço econômico do país e do Estado. Está preparado para 2022?  

Nos últimos dois anos, a sociedade viveu uma crise mundial diferente de tudo que já vimos e para o próximo ano, o Grupo RCN vai propor o debate de questões sobre o futuro, abordando uma pluralidade de assuntos e a diversidade de conteúdo em várias áreas, como saúde, economia, tecnologia, mundo dos negócios e muito mais.
Neste contexto de muitos desafios, o objetivo é desenvolver o pensamento de avanço no futuro, através dos nossos eventos, com muita informação. Fomentar novas ideias e ações de desenvolvimento para a população do Mato Grosso do Sul. 

Para 2022, o Grupo RCN vai promover encontros temáticos a serem realizados em Três Lagoas e Campo Grande. Estão previstos três conferências, denominados, RCN em Ação, a serem realizadas em Três Lagoas. 
Para Campo Grande, estão previstos sete encontros, sendo, uma conferência do 1º Fórum RCN de Economia; duas conferências do RCN Agro e dois encontros do CBN em Ação. 

Com este novo calendário de projetos, o Grupo RCN quer contribuir com o desenvolvimento do Estado. 
Para a equipe do RCN de Comunicação, o ano de 2022 já começou e a proposta com as conferências é também a de instigar a positividade, para a melhor qualidade de vida da população por meio do cenário empresarial, pois a empresa acredita em um momento melhor, e mais do que isso, quer atuar em prol de um futuro promissor. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas