RÁDIOS
Três Lagoas, 23 de maio

Estelionatários estão se passando por funcionários do INSS

Servidores do INSS não vão na casa das pessoas fazer prova de vida, afirma gerente do INSS

Por Sidney Cardoso
16/05/2024 • 08h15
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

O Instituto Nacional de Serviço Social (INSS) está alertando para golpes que estão sendo cometidos aos pensionistas. São dois tipos de golpes: o primeiro é a prova de vida e o segundo é o recadastramento, pessoas se passando por servidores do INSS.

Segundo a gerente do INSS, Rosane Balerini, conforme determinação a prova de vida pode ser feita por qualquer meio de identificação, sem necessidade de deslocamento da pessoa. Pode ser usado como comprovação de prova de vida, comprovante de votação eleitoral, renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e qualquer documento oficial.

Quem não fez nenhum desses serviços com documentos de identificação durante o ano pode ir até a sua agência bancária e fazer o reconhecimento biométrico para a prova de vida. A gerente Rosane Balerini afirmou que servidores do INSS não vão na casa das pessoas fazer prova de vida.

JPNEWS: BANNER  CASA DOS SONHOS CONTR. 28807 01.02 A 31.10.2024 ATUAL. 05.04.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“São pessoas se passando por servidores do INSS, visando pegar documentação e informações, não sabemos com qual intuito, que não devem ser bons, por precisarem mentir, mas orientamos a população que não forneçam documentos, porque não são servidores do INSS”, orientou a gerente do INSS, Rosane Balerini.   

A gerente informou ainda que não existem a questão de recadastramento, o que existe é a prova de vida anual, que não é feita no INSS e muito menos na residência da pessoa, ela é feita na agência bancária mediante a comprovação de vida por reconhecimento biométrico, para saque do benefício.

Confira na entrevista abaixo:

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas