BRASIL

Moro autoriza polícia a devolver parte do material de Lula apreendido

Objetos foram apreendidos durante cumprimento dos mandados de busca e apreensão realizados na última sexta-feira no Instituto Lula

Por Redação
10/03/2016 • 08h45
Compartilhar

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, acatou, parcialmente, pedido dos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de parentes dele para devolução de objetos pessoais e documentos apreendidos durante a 24ª fase da Lava Jato.

O advogado Roberto Teixeira questionou  a ação da Polícia Federal no cumprimento dos mandados de busca e apreensão realizados na última sexta-feira no Instituto Lula, em empresas de Luís Cláudio Lula da Silva, filho de Lula, e na casa de parente do ex-presidente.

Em petição protocolada na noite de terça-feira, 8, o advogado afirmou, por exemplo, que os agentes da PF tiveram acesso a senhas do administrador de e-mails do Instituto Lula e depois a modificaram, impossibilitando as atividades da entidade.

Em despacho publicado no início da noite, Moro afirma que autorizou a autoridade policial a devolver “eventual material apreendido” que não interesse à investigação. No documento, o juiz determinou ainda a retirada do sigilo de alguns eventos relacionados à 24a fase, denominada Aletheia.

O advogado Roberto Teixeira também havia solicitado que as ações da 24a fase que ainda estavam sob sigilo fossem tornadas públicas “em nome do princípio da ampla defesa”.

(Agência Brasil)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Brasil

VEJA MAIS