RÁDIOS
Campo Grande, 26 de junho

Falta de qualificação, muitas vezes, é o que separa o desempregado do mercado de trabalho

De acordo com o diretor executivo da Funtrab, cerca de R$ 10 milhões de reais serão investidos em profissionalização ainda em 2022

Por Gerson Wassouf
24/05/2022 • 14h30
Compartilhar

Em Mato Grosso do Sul milhares de vagas de emprego são oferecidas por agências públicas e privadas, comprovando que há oportunidades de sobra no mercado de trabalho. Frequentemente a Funsat (Fundação Social do Trabalho de Campo Grande) e a Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul) divulgam oportunidades de emprego na internet, mas ainda existem muitas pessoas desempregadas em busca de trabalho. Por que a demanda de vagas não é suprida? Qual a principal dificuldade das empresas e dos candidatos?

Para ajudar a responder essas perguntas, a reportagem da CBN entrou em contato com Moacir Pereira Júnior, gestor da escola de varejo da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG). "A adversidade nessa situação é que, a grande maioria das pessoas que estão fora do mercado de trabalho não busca qualificação. E quando elas não buscam qualificação, elas ficam prejudicadas, pois não reúnem as competências e habilidades necessárias parapoder atender à demanda das empresas que mandam vagas para nós. Então acaba que em uma ponta você tem diversas oportunidades e na outra, muitas pessoas que não se encaixam nessas vagas, por falta de qualificação", destaca o gestor.

Richard Barbosa acabou de completar 18 anos e está procurando uma vaga no mercado de trabalho, mas muitas vezes a pouca idade ou falta de qualificação acabam dificultando a contratação. O último trabalho de Richard foi como jovem aprendiz e agora, depois de 5 meses desempregado, ele busca uma oportunidade na mesma área. "Eu estou procurando algum serviço como auxiliar administrativomesmo ou auxiliar de produção, já perdi muitas vagas por causa da falta de qualificação. Vou procurar me especializar e continuar procurando", relata.

As instituições públicas e privadas oferecem cursos de especialização para a população, os candidatos podem participar dessas especializações que muitas vezes são gratuitas, como conta o Diretor Exectivo da Fundação de Trabalho de Mato Grosso do Sul, João Cirilo Benites. "Tem mais de 4 milhões de reais investidos na qualificação da população aqui no estado, esse número pode chegar até 10 milhões de reais em investimentos ainda esse ano. Fizemos um levantamento das demandas profissionais em algumas cidades e, de acordo com isso, a Funtrab promove qualificação direcionada nesses lugares", lembra o diretor.

Moacir esclarece como o candidato às vagas de trabalho pode "virar a chafe", sair do desemprego e mudar de vida. "A Associação Comercial promove qualificação profissional aqui mesmo na sede, na Rua 15 de Novembro, todas as terças-feiras, das 7h30 às 8h30. A pessoa que não consegue uma vaga de emprego, como nós dissemos, muitas vezes é porque falta qualificação. Ela precisa virar essa chafe, precisa ter atitude, buscar se especializar em uma área e se tornar um candidato pronto para o mercado. A área de vendas, por exemplo, é o setor que tem mais dificuldade para contratar profissionais qualificados", alerta.
 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande