RÁDIOS
Campo Grande, 30 de junho

Prefeitura da Capital lança edital de obra viária de R$ 74 milhões

Região hoje se encontra desabitada e ligada apenas por estradas vicinais e com pouca condição de tráfego, sem rede de luz

Por Nyelder Rodrigues
23/06/2022 • 15h00
Compartilhar

Hoje inabitada, área atrás do Aeroporto Internacional de Campo Grande deve ganhar em breve novos contornos: a prefeitura lançou nesta quinta-feira (23) em Diário Oficial o edital da licitação de R$ 74 milhões que vai contratar a empresa responsável por urbanizar o local, que fica entre as saídas de Sidrolândia e Aquidauana.

Anunciado em julho de 2020, o projeto deve beneficiar logo de início 40 mil moradores dos bairros Santa Emília, São Conrado, Nova Campo Grande, Jardim Carioca e Indubrasil, que serão interligados por 13,3 km de asfalto, 15,2 km de drenagem e 11,6 km de ciclovia, além de uma ponte de 40 metros sobre o córrego Imbirussu.

O eixo se baseia nos prolongamentos das avenidas General Carlos Alberto Mendonça Lima (principal via do São Conrado) e Wilson Paes de Barros (esta lateral ao Aeroporto e iniciada no Nova Campo Grande). A Mendonça Lima ainda terá um outro prolongamento, chegando até o Indubrasil e se integrante a avenida Jamil Naglis.

Os recursos são oriundos do Ministério do Desenvolvimento Regional, com R$ 54,9 milhões, garantidos por emenda impositiva da bancada. Além disso, os R$ 14,8 milhões restantes para completar o valor total das obras será investido pela própria prefeitura.

A previsão é que até outubro, pela avenida Sete, seja aberto a primeira rota de tráfego desse novo complexo viário. A abertura e habilitação das propostas da licitação acontecerá já no próximo dia 27, segunda-feira. Quando estiver concluído, o investimento abrirá um corredor viário ligando as regiões urbanas Imbirussu e Lagoa.

INFRAESTRUTURA

Junto a isso, a drenagem será um dos principais pontos da obra, que visa a construção de três piscinões com capacidade para reter mais de 90 milhões de litros de água oriundas das chuvas, que criam enxurradas e alagamentos nos bairros Nova Campo Grande e Serradinho.

Serão beneficiados ainda outros quatro bairros – Jardim Santa Emília, São Conrado, Jardim Carioca e Eliane. As três bacias de detenção, os piscinões, serão próximo ao Residencial Nelson Trad, em uma área da Infraero, e o maior terá capacidade para 53 milhões de litros na rotatória da avenida Wilson Paes de Barros.

Além dos piscinões, o projeto de drenagem prevê a implantação de 15 km de tubulação subterrânea e 1,4 km de colchões drenantes, que são estruturas de pedra que retém a água e impedem que as mesmas subam para superfície danificado o pavimento. 

Na região do Nova Campo Grande, a água brota do lençol freático com apenas um metro de profundidade perfurado. Estão programados 1.504 metros de colchões de pedra, 420 metros na Wilson Paes de Barros e 1.084 metros na Alberto Mendonça.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande