Três Lagoas, 22 de setembro
28º C
(67) 99229-0519

Delegado conta como ocorreu prisão de dupla que degolou morador no Oiti

O crime foi registrado no dia 9, no Jardim Oiti, e a prisão ocorreu na terça-feira (24)

Por Carol Beghelini
25/08/2021 • 10h05
Compartilhar

Duas pessoas foram presas pelo assassinato do jovem Willian Alexandre Furniel Dionizio, de 26 anos, encontrado morto na calçada de uma residência, no bairro Jardim Oiti, em Três Lagoas. O fato ocorreu no dia 9 de agosto, quando o corpo da vítima foi encontrado degolado. Em entrevista, o  delegado titular do Setor de Investigações Gerais (SIG), Ailton Pereira, esclareceu como ocorreu o homicídio e quem são as pessoas envolvidas no crime. 

 A vítima estaria participando de uma festa na casa de um dos autores, na noite anterior ao crime, onde haveria tido um desentendimento. Willian teria percebido que a droga que estava usando havia sido alterada pelos colegas. Os autores do crime, segundo a polícia,  Aleandro de Souza Dias e Wender de Lima Vieira, conhecidos como "Bolacha" e "Formigão", estavam com uma faca e perseguiram a vítima, que tentou fugir para a rua. Assim que Willian foi abordado, os autores o esfaquearam, inclusive, no pescoço, o que levou a morte do jovem no mesmo local.

Os suspeitos foram presos nesta terça-feira (24) e ainda, conforme o delegado, Bolacha, chegou a fugir da cidade com ajuda de familiares com destino a Campo Grande. Mas, com o apoio de policiais, ele foi preso e vai responder por homicídio doloso, cruel e sem defesa para a vítima. O comparsa, Formigão, foi preso horas depois, em Três Lagoas.

Ainda sobre o local onde ocorria a festa, a equipe do SIG descobriu que o imóvel seria um ponto de vendas e consumo de drogas, assim também como foi apreendido vários objetos que teriam sido furtados na região, e assim que apreendidos, foram devolvidos para os moradores.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS