RÁDIOS
Três Lagoas, 21 de maio

Como chegamos à crise entre Executivo e Judiciário

Leia o artigo da edição do Jornal do Povo desta semana

Por Fernando Valente Pimentel - Pres. da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção
07/05/2022 • 07h03
Compartilhar

O associativismo cumpre missão de grande relevância no desenvolvimento dos distintos setores de atividade, contribuindo para o aprimoramento do mercado, aporte tecnológico, fomento das exportações, capacitação dos recursos humanos e mobilização política voltada à defesa dos legítimos interesses de cada atividade.

É, ainda, o grande fórum do debate de ideias e propostas de soluções dos empresários, classe laboral, academia e especialistas. Esse conjunto de ações integradas favorece as cadeias de valores e respectivas empresas, a economia, o País e a sociedade.

 A Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) tem sido um exemplo de associativismo produtivo nos seus 65 anos de história, celebrados em 2022. É uma das mais atuantes entidades de classe do País, com amplo reconhecimento no cenário nacional e no internacional. Realiza esforço significativo para alinhar o setor aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e é signatária de ações globais em defesa da dignidade laboral, participando, dentre outras, de iniciativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT). 

RCN 67 TODAS AS PAGINAS: BANNER RCN EM AÇÃO MUSSAK DE 02.03 A 01.06.2022
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os princípios de ESG (sigla em inglês para meio ambiente, social e governança corporativa) norteiam a transição do setor à Indústria 4.0, apoiada e orientada pela associação. Nesse sentido, a Abit também se integra a várias iniciativas no Brasil e de organismos multilaterais, como a Organização Mundial do Comércio (OMC), a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

A entidade tem, ainda, ativa participação em ações globais com a International Apparel Federation (IAF), International Textile Manufacturers Federation (ITMF) e Business 20, grupo da iniciativa privada no âmbito do G 20, no qual são discutidos o futuro do trabalho, emergências globais, cidades inteligentes e descarbonização. 

Contribuindo para o desempenho setorial, a Abit cumpre intensa agenda, com um trabalho ininterrupto em várias frentes. Uma de suas ações é proporcionar informações estratégicas e sobre macrotendências, visando facilitar a tomada de decisões das empresas e das lideranças do setor e da sociedade. Também realiza campanhas, como “Moda Brasileira: Tamo Junto -- da Matéria-Prima ao Produto Final”, mantém convênio com a Apex, por meio do Programa Texbrasil, para ampliar exportações e a internacionalização das empresas, realiza anualmente o seu Congresso Internacional, o grande polo de interação da cadeia produtiva da moda, e produz estudos e pesquisas para subsidiar o desenvolvimento do mercado. 

A entidade promove cursos e workshops, de maneira própria ou em parceria com instituições como o SENAI-CETIQT, SENAI Francisco Matarazzo, Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Presbiteriana Mackenzie, dentre outras. Destaca-se, ainda, o Núcleo de Sustentabilidade e Economia Circular (Nusec), iniciativa em conjunto com o SENAI- CETIQT. 

A Abit, ao lado de outras entidades de classe, também tem sido uma das protagonistas da sociedade civil na proposição de políticas públicas favoráveis à geração e preservação de empregos e à melhoria do ambiente de negócios, bem como na defesa dos interesses do setor. Nesse sentido, atua de modo sinérgico e coeso com a CNI e federações estaduais da indústria, instituições de múltiplos setores e com os sindicatos da área têxtil e de confecção, cujo papel é relevante para o fortalecimento e fomento da atividade e avanço das relações com a classe laboral.

Essa legítima mobilização cívica e política contribuiu para relevantes conquistas, como a reforma trabalhista, Lei do Gás, prorrogação da desoneração da folha de pagamentos e redução em 25% do IPI. A Abit segue engajada na agenda do desenvolvimento, preconizando as reformas estruturais, como a tributária e a administrativa. São iniciativas importantes para atender as pessoas físicas e jurídicas em sua condição de cidadania e pagadoras de impostos. 

Todas as ações e iniciativas da entidade evidenciam que, mantendo sua tradição de defesa e fomento da indústria têxtil e de confecção, mantém-se atualizada, em sintonia com as demandas inerentes às transformações do mundo, bem como as decorrentes de problemas conjunturais, como a pandemia da Covid-19 e, mais recentemente, a invasão da Rússia à Ucrânia, que está promovendo rápidas mudanças na geopolítica global.

A Abit tem agido e apoiado as empresas e as pessoas, que são sempre o fim e prioridade de tudo, no enfrentamento das desafiadoras questões de cada momento que permeou sua trajetória.  A história da entidade foi feita por vários presidentes, dirigentes e equipes profissionais, num trabalho evolutivo, aprendizado contínuo e marcado pelo permanente propósito de fomentar, defender e representar a indústria têxtil e de confecção brasileira, empregadora de 1,5 milhão de trabalhadores e detentora de um dos maiores parques do gênero em todo o mundo.

Tamanha responsabilidade somente pode ser exercitada com imenso esforço, dedicação, competência e o desprendimento de todos os que dedicaram o tempo de suas famílias e empresas à causa comum do setor.   Muito relevante, também, a confiança dos associados, a participação proativa dos conselheiros e o trabalho da equipe de colaboradores. É todo um ecossistema associativo dedicado a transformar nossa indústria em uma das pontes para levar o Brasil e o mundo a um futuro melhor. Nesse sentido, quanto maior for a participação nas reuniões, eventos e no cotidiano da entidade, mais forte ela será e mais dinâmico e eficaz será o setor. Juntos, iremos muito mais longe.

 Para marcar o 65º aniversário da Abit, estamos lançando selo comemorativo com a inscrição “Inspirada por desafios, movida por pessoas”, mote que tem nos acompanhado nos últimos anos. A frase sintetiza a história da entidade, que testemunha o quanto é bom jamais estar sozinho no universo corporativo.

O associativismo fortalece os propósitos de fomento setorial, sustentabilidade social, econômica e ambiental, visando ao bem-estar dos indivíduos e da sociedade. Por isso, a Abit será sempre uma entidade que trabalhará tecendo e costurando o desenvolvimento e gerando esperanças da Indústria Têxtil e de Confecção. 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews