Três Lagoas, 20 de setembro
33º C
(67) 99229-0519

Mapa mostra bairros com mais casos de Covid em Três Lagoas

Estudo é uma parceria entre a Secretaria de Saúde e UFMS

Por Tatiane Simon
23/07/2021 • 16h02
Compartilhar

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o curso de Geografia da UFMS, por meio de projeto de pesquisa com recursos PPSUS/FUNDECT, começa a monitorar os casos de Covid-19 conforme sua distribuição no município, a partir do território de abrangência das Unidades de Saúde. O mapa será divulgado semanalmente.

Conforme Vinícius de Jesus Rodrigues Neves, médico de Família e Comunidade e da equipe de Vigilância Epidemiológica da SMS, “vamos divulgar mapas que demonstrem onde a circulação do coronavírus está mais intensa. Isso não significa que nas demais localidades não tenhamos casos, pelo contrário, significa que nessas de coloração laranja e vermelha a chance de se contaminar é muito maior”, explicou.

O mapa é elaborado a partir da extração de dados dos casos positivos, sendo lançados num sistema que gera as coordenadas geográficas de acordo com os casos registrados nos últimos dias, tendo como referência a localidade onde cada paciente se encontra.

JPNEWS: CONQUISTA SEGUROS BONIFICAÇÃO CONTRATO 37546
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o mapa será utilizado para acionar as Unidades de Saúde dos bairros com maior incidência para ampliarem a vigilância e orientação à população sobre o aumento de casos na região. “Outra ação, é a intensificação da fiscalização feita pela Vigilância Epidemiológica, com apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, sobre o cumprimento do isolamento domiciliar; e, com o apoio da Defesa Civil, panfletagem orientativa principalmente no comércio local desses bairros”, explicou Neves.

Inclusive, já utilizando a mensuração dada pelo mapeamento, as ações de ampliação da orientação e aumento da fiscalização e monitoramento começarão na área de abrangência da UBS Vila Nova.

Os motivos para que uma região esteja em verde e outra em vermelho no mapa podem contar com diversos fatores, desde perfil de idade dos moradores da região, locais de maior circulação de pessoas por motivo de trabalho e até questão de aglomeração. “É complexo definirmos um ou vários motivos específicos para isso, porém o mapeamento permite, mesmo sem esse balizamento, saber quais as regiões mais afetadas e que precisam de atenção redobrada”, explicou Neves.

O médico alerta ainda que o cuidado deve ser aumentado, com uso mais rigoroso de máscara, distanciamento e higiene das mãos. “Mesmo que as contaminações tenham se iniciado fora da região, é possível que no comércio local a presença do vírus esteja ainda maior, por isso a importância de aumentar os cuidados. Nas demais localidades do município, os cuidados continuam os mesmos”, finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS