RÁDIOS
Três Lagoas, 22 de abril

Consumo de peixes aumenta na Quaresma em Três Lagoas

Aumento se deve à prática de substituir carne vermelha pelo pescado como forma de penitência, durante este período

Por Any Galvão
28/02/2024 • 10h47
Compartilhar

Durante a Quaresma, período em que os católicos e algumas outras comunidades cristãs praticam a penitência em preparação para a Páscoa, do dia 14 de fevereiro até 28 de março, é observado um aumento considerável no consumo de peixes. Isso se deve à prática de substituir carne vermelha por peixe como forma de punição.

O peixe é um ingrediente tradicional em pratos típicos desta época do ano, o que explica o aumento significativo no seu consumo, especialmente durante a Semana Santa.

O vendedor Adriano Ferreira de Souza atua na comercialização de peixes há 10 anos e confirma este aumento. Segundo ele, é esperado uma elevação nas vendas entre 30% a 40% neste ano, mesmo com o aumento no preço dos pescados na loja em que trabalha. Ele destaca que a tilápia é um dos peixes mais consumidos na Quaresma.

JPNEWS: CAFÉ COM NEGÓCIOS 04 - DE 19/04/2024 A 14/05/2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante este período, são os comerciantes, donos de supermercados e peixarias que têm motivo para comemorar, pois as vendas aumentam significativamente. O empresário Leandro Thomé também afirma que o aumento no consumo e nas vendas de pescados é esperado para essa época do ano. Ele observa que, em seu supermercado, os preços permanecem relativamente estáveis em comparação com anos anteriores.

Além do peixe, de acordo com Leandro, o consumo de legumes e alguns complementos nos pratos também aumentam durante a Quaresma, como a batata, o azeite, o leite de coco e o azeite de dendê. No entanto, alguns legumes apresentaram elevação no preço devido a chuva nas regiões de agricultura.

Confira a matéria abaixo:

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas