RÁDIOS
Três Lagoas, 16 de junho

Enxadrista de Três Lagoas vai em busca do título de Mestre

O próximo desafio para o enxadrista três-lagoenses será em julho, quando vai em busca do título de Mestre

Por Israrel Espíndola
25/05/2024 • 17h34
Compartilhar

Na semana passada o enxadrista Arthur Neres, de 15 anos, trouxe uma medalha de bronze para Três Lagoas. O enxadrista esteve com a delegação de Mato Grosso do Sul, em Natal (RN), quando disputou o Campeonato de Xadrez do Festival Nacional da Criança e do Festival Nacional da Juventude e Juvenil, torneio nacional que reuniu mais de 300 competidores de todo o Brasil. O torneio reúne enxadristas de seis a 20 anos.

Arthur Neres terminou em 3º lugar no Sub-16 na modalidade rápido, que é  uma variante do xadrez que emprega uma quantidade tempo reduzido para cada jogador, em vez do tempo normalmente regulamentar em partidas tradicionais. Além do bronze, o enxadrista ainda garantiu o  quinto lugar na modalidade blitz, outra variante do xadrez que utiliza o tempo de 3 minutos para cada jogador, com acréscimo de 2 segundos por jogada, o que mostra que Arthur tem um raciocínio muito rápido.

No mês de Julho, o três-lagoense vai para São Paulo em busca do título de mestre do xadrez. Arthur Neres é aluno da Escola Estadual Professor João Magiano Pinto, o tradicional colégio Jomap, e conquistou medalha de ouro na blitz, de prata, no rápido, e bronze no clássico. “Estou muito feliz com a minha participação no campeonato nacional e com resultado alcançado, pois é um torneio difícil que reúne os melhores enxadristas. Agora é foco e treinos para poder fazer o meu melhor”, destacou.

Com 314 inscritos no geral, a delegação sul-mato-grossense foi a sétima maior com 15 atletas. A atleta Mariana Yassuda vai representar Mato Grosso do Sul no Campeonato Mundial, após ser campeã do ritmo clássico. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas