Campo Grande, 09 de dezembro
26º C
(67) 99229-0519

Após meio século de história, OAB Corumbá terá mulher no comando pela 1º vez

Nova diretoria tem desafio de enfrentar crise financeira que abala o setor da advocacia local e brigar pelo aparelhamento do Judiciário

Por Rodolfo César
22/11/2021 • 09h40
Compartilhar

Maria Carolina Scheeren do Valle foi referendada para assumir a presidência da OAB-Corumbá para o triênio 2022-2024. Em mais de meio século que a instituição está na Capital do Pantanal, essa é a primeira vez que uma mulher será presidente. Ela concorria em chapa única e nesta sexta-feira (19) houve a votação. Foram 124 advogados que votaram neste pleito e 98 confirmaram a escolha da chapa única (79% dos votos válidos). Na cidade, há 290 profissionais, porém 150 estão em atuação.

Maria Carolina é a atual vice-presidente da chapa que é presidida por Roberto Ajala Lins. O novo vice-presidente será José Carlos dos Santos. O secretário-geral é Rodrigo Viana Mello; enquanto que a secretária-geral adjunta será Nádia Maria Fuzeta Péres. Completa a nova diretoria o tesoureiro, cargo a ser ocupado por Candelária Lemos. A nova chapa terá a presença de três mulheres.

Maria Carolina ressaltou que mulher está com o seu protagonismo representado nesta eleição da OAB-Corumbá. "Temos uma série de demandas que vamos atuar. Queremos fazer com que a OAB seja a casa do advogado e será para isso que vamos trabalhar. Sabemos também da dificuldade financeira que existe para a categoria e este é outro desafio que temos pela frente", apontou.

CBN: CASA DAS CORES DEZEMBRO
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na cidade, 40% dos membros da OAB local estão inadimplentes. A anuidade é de R$ 1.018,15 para profissionais formados e R$ 286,03 aos estagiários. A pandemia do novo coronavírus é apontada como um dos principais fatores para trazer impacto financeiro no setor da advocacia em Corumbá.

A nova presidente ainda terá a meta de garantir que a cidade mantenha protagonismo no setor judiciário. Neste ano, como vice, ela atuou diretamente para evitar que a 3ª Vara Cível fosse retirada. A decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul de revogar essa desinstalação foi divulgada no dia 18. “Temos que garantir que tenhamos a lotação da magistratura. Isso contribui para o rito processual”, reforçou.

A advogada é graduada em Direito pela Universidade Católica Dom Bosco (2000). É Pós-graduada em Docência do Ensino Superior pela FSST, em 2012. Entre suas atuações, ela é coordenadora e professora do Curso de Direito da Faculdade Salesiana Santa Teresa. Atua como membro do Grupo Gestor e do NDE da FSST. Advogada inscrita na OAB-MS, com atuação profissional no ramo do Direito de Família e Sucessões. Sócia da Valle Advocacia.

Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil. Mediadora judicial em formação. Vice-presidente da OAB-Subseção de Corumbá - triênio 2016-2018 e triênio 2019-2021.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande