Campo Grande, 23 de setembro
28º C
(67) 99229-0519

Mutirão realiza coleta de DNA de detentos condenados em Campo Grande

Pelo menos 350 amostras devem ser captadas no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste

Por Giovanna Dauzacker
15/09/2021 • 16h00
Compartilhar

O Instituto de Análises Laboratoriais Forenses (IALF) realiza, na quinta-feira (16), um mutirão para a coleta de perfil genético de presos condenados pela Justiça por crimes sexuais, homicídios, feminicídios e roubos. Prevista para iniciar às 8h, a captação das amostras de DNA será no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste, em Campo Grande.

A equipe, comporta por 10 peritos criminais e dois papiloscopistas, deve recolher também impressões digitais. A expectativa é de que pelo menos 350 amostras sejam coletadas. O fornecimento por parte dos detentos é obrigatório, conforme o artigo 9º-A da Lei N.º 12.654.

“Esse material será incluído nos Bancos Estadual e Nacional de Perfis Genéticos e confrontados com os vestígios que colhemos em locais de crimes, com o objetivo de identificar os autores”, explica a diretora do IALF, Josemirtes Fonseca Prado da Silva.

Os dados constantes dos bancos de dados de perfis genéticos são de caráter sigiloso. Com essas informações cadastradas no banco, é possível apontar a autoria de crimes sem solução, além de comprovar a inocência de suspeitos e interligar um caso com outras investigações das demais esferas policiais.

Mato Grosso do Sul integra a Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. A RIBPG é formada, atualmente, por 22 laboratórios de genética forense vinculados a unidades de perícia estaduais, distrital e federal.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande

VEJA MAIS