Paranaíba, 26 de outubro
27º C
(67)99272-4655

Homem é condenado a 27 anos de prisão por morte de Valéria Ribeiro, em Paranaíba

Sérgio Vergínio foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, emboscada, recurso que dificultou a defesa da vítima e contra mulher no contexto de violência doméstica

Por Alex Santos / Talita Matsushita
07/10/2021 • 16h51
Compartilhar

O Tribunal do Júri em Paranaíba, condenou a 27 anos e 7 meses de reclusão, 1 mês de detenção, além de 45 dias-multa Sérgio da Silva Vergínio, acusado de matar a golpes de facas Valéria Ribeiro de Oliveira.

Valéria Ribeiro foi morta na noite de 14 de maio de 2020 após ser rendida por Sérgio Vergínio quando chegou em casa. Na época, armado, efetuou disparos, mas a vítima conseguiu desarmá-lo. O agressor foi até a cozinha, pegou uma faca e atacou a ex-namorada.

Ele foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, emboscada, recurso que dificultou a defesa da vítima e contra mulher no contexto de violência doméstica.

Também foi condenado por violação de domicílio e porte de arma, referente ao dia anterior ao feminicídio.

Na acusação atuou o promotor de justiça Leonardo Dumont Palmerston, e a defesa ficou a cargo do defensor público Bruno Augusto de Resende Louzada.

A sessão de julgamento foi presidida pela juíza Nária Cassiana Silva Barros. Participaram do Júri três homens e quatro mulheres.

O julgamento foi marcado por homenagens e emoção de familiares da vítima, que vestiam camisetas estampadas com uma foto de Valéria Ribeiro e a frase "Guerreira na terra Anjo no céu".

Em relação à decisão ao RCN67/JPNEWS, a defesa disse que irá analisar a sentença e possibilidade de recorrer da dosimetria de pena.

O Crime

ReproduçãoValéria Ribeiro, na época do crime com 30 anos, foi morta pelo ex-namorado, Sérgio Vergínio da Silva, na noite do dia 14 de maio de 2020, após ser rendida e feriada com golpes de faca, quando a vítima chegada em sua residência.

A vítima teria entrado em luta corporal com o assassino, três disparos foram efetuados e, ao soltar a arma, a filha, de 12 anos, conseguiu pegar o revolver calibre 38 e jogar para o lado de fora da casa. O criminoso havia trancado o portão após conseguir entrar na residência.

Depois que a arma foi jogada na calçada Sérgio foi até a cozinha da residência, pegou uma faca, com 20 centímetros de lâmina, e atacou a ex-companheira na frente da garota.

Sérgio deu facadas em seu próprio abdômen e pediu para que policiais o matassem. Ele foi preso em flagrante na época do crime, com lesões em seu abdômen e pescoço.

De acordo com Eva Maira Cogo, delegada da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), Sérgio havia invadido a residência anteriormente ao crime, conforme relatos da filha.

Ele pulou o portão para tentar reatar o relacionamento com a mãe. Após a invasão a Valéria contratou um pedreiro para fechar a parte de cima do portão.

O estopim para ação seria o fato de Sérgio ter sido bloqueado por Valéria em uma rede social na época, conforme Eva Maira.

Valéria chegou a ser levada ao hospital ainda com vida, sofreu três paradas respiratórias no caminho, porém, não resistiu aos ferimentos.

Histórico de Violência

Sérgio da Silva Vergínio possui histórico de violência e agressões a duas ex-namoradas. Uma das vítimas foi agredida por ele em 2011. Já no ano de 2013, Sérgio perseguiu outra ex-namorada inconformado com o fim do relacionamento de dez meses

“Em relação ao histórico de agressões, tem dois registros de ocorrências de 2011 e 2013, de duas mulheres diferentes que se relacionaram com ele. Um é relacionado a agressão física e outro relacionado ao término de um namoro de dez meses e inconformado perseguia a mulher”, disse Eva Maira.

Veja:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Cultura FM 106,3 - Paranaíba