RÁDIOS
Três Lagoas, 18 de junho

Gaeco mira corrupção na FFMS e cumpre mandado em Três Lagoas

Operação 'Cartão Vermelho' apreendeu mais de R$ 800 mil em MS

Por Sidney Cardoso
25/05/2024 • 15h34
Compartilhar

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou a Operação ‘Cartão Vermelho’, no dia 21 de maio, para desarticular uma organização criminosa voltada à prática de peculato e demais delitos correlatos no âmbito da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS).

A operação cumpriu sete mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão nos municípios de Campo Grande, Dourados e Três Lagoas. Nesta etapa, a ação contou com o apoio da Polícia Militar e representantes da Comissão de Defesa e Assistência das Prerrogativas dos Advogados de Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil. Foram apreendidos mais de 800 mil reais em espécie. Em Três Lagoas, o Gaeco não divulgou onde o mandado foi cumprido.

Operação 

JPNEWS: BANNER FAMÍLIA É TUDO 14.05 A 23.12.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante 20 meses de investigação, foi constatado que se instalou na Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, uma organização criminosa, cujo principal objetivo era desviar valores, sejam provenientes do Estado de Mato Grosso do Sul, via convênio, subvenção ou termo de fomento, ou mesmo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em benefício próprio e de terceiros.

Uma das formas de desvio era a realização de frequentes saques em espécie de contas bancárias da FFMS, em valores não superiores a R$ 5 mil para não alertar os órgãos de controle, que depois eram divididos entre os integrantes do esquema. Nessa modalidade, verificou-se que os integrantes da organização criminosa realizaram mais de 1.200 saques, que ultrapassaram o montante de R$ 3 milhões.

A organização criminosa também possuía um esquema de desvio de diárias dos hotéis pagos pelo estado de Mato Grosso do Sul em jogos do Campeonato Estadual de Futebol. Esse esquema de peculato estendia-se a outros estabelecimentos, todos recebedores de altas quantias da FFMS. A prática consistia em devolver para os integrantes do esquema parte dos valores cobrados naquelas contratações, de serviços ou produtos, efetuadas pela FFMS.

Ao todo, os valores desviados, entre setembro de 2018 e fevereiro de 2023, da FFMS superaram a casa dos R$ 6 milhões. O Gaeco disponibilizou um número de telefone para receber denúncias diante da grande procura de representantes de clubes e fornecedores da FFMS com intuito de contribuir com as investigações. O disque denúncia é 67 9 9825 0547. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas