RÁDIOS
Três Lagoas, 21 de maio

Médico cirurgião fala dos desafios de combate ao câncer

Dia Mundial de Combate ao Câncer é celebrado em 8 de abril e tem objetivo de conscientizar sobre a prevenção

Por Any Galvão
08/04/2024 • 11h16
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

Nesta segunda-feira (8), o médico oncologista Rodrigo Melão participou do programa RCN Notícias, da TVC HD, Canal 13.1, para falar sobre os desafios enfrentados no combate ao câncer.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer, celebrado em 8 de abril, tem como objetivo conscientizar sobre a prevenção e disseminar informações sobre a doença.

Segundo o médico, o câncer é caracterizado pela proliferação desordenada das células do organismo, podendo ser influenciado por fatores genéticos e externos, como exposição ao sol, tabagismo, alimentação e idade.

TODAS AS PRAÇAS: BANNER BRILHANTE ATÉ 31.12.24
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Rodrigo ressalta que a disseminação de informações tem contribuído para o aumento dos diagnósticos precoces, incentivando as pessoas a procurarem ajuda profissional.

Ele destaca que mais da metade dos casos de câncer são evitáveis e, mesmo nos casos inevitáveis, é possível realizar diagnósticos precoces. Por isso, a prevenção é fundamental e pode ser incorporada ao dia a dia, incluindo hábitos como manter uma vida saudável, alimentação equilibrada, prática de exercícios físicos, evitar exposição solar e realizar exames de rotina regularmente.

Quanto aos exames de rastreio, para os homens, destaca-se o câncer de próstata, recomendado a partir dos 45 anos, especialmente se houver histórico familiar da doença. Já para as mulheres, os principais são os cânceres de mama e colo do útero, com a mamografia indicada a partir dos 45 anos e o exame de papanicolau a partir dos 22 anos.

Confira a entrevista completa abaixo:

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas