Três Lagoas, 24 de setembro
26º C
(67) 99229-0519

Município pode sediar torneio de games no primeiro semestre de 2018

Maratona, inclusive para cadeirantes, também está nos planos da Secretaria de Esportes e Lazer

Por André Barbosa
03/01/2018 • 07h15
Compartilhar

Três Lagoas deve sediar campeonato de jogos eletrônicos, os chamados 'games' e maratona pelas ruas da cidade, nos primeiros meses de 2018. A informação é do secretário Municipal de Esportes, Juventude e Lazer, Leandro Dias. A intenção, segundo o servidor público, é trazer mais novidades para o meio esportivo três-lagoense e atrair a atenção de competidores mais jovens.

De acordo com Leandro Dias, o município oferece suporte para ambas competições, entretanto, os projetos precisam ser ‘bem formatados’. “Vamos trabalhar fundo para isso. Sabemos que corridas demandam tempo e estrutura. Temos que correr contra o tempo e buscar apoio de órgãos estaduais e federais, bem como entidades privadas e também buscar recursos incansavelmente. Queremos fazer algo com qualidade e com muita vontade”, disse.

A previsão do secretário, é de que, até o primeiro semestre de 2018, os projetos estejam prontos. “Queremos incrementar com novas competições para os corredores de rua, cadeirantes e também para os jogadores eletrônicos, que sabemos que é uma febre no cenário nacional e mundial, e tem muita gente ganhando dinheiro com isso”.

 O secretário finaliza, afirmando que ambos projetos já estavam em idealização, no ano passado. “2017 foi um ano de várias atividades esportivas com grandes participações de atletas três-lagoenses no cenário nacional. Mais de 16 competições de várias modalidades foram disputadas no município, além de outras atividades. Entretanto, sentimos falta destas duas competições neste primeiro ano de administração. Queremos fazer em 2018 o que não conseguimos o ano passado”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS