RÁDIOS
Três Lagoas, 16 de junho

Presidente do Comercial Esporte Clube de Três Lagoas fala do cenário esportivo em MS

Encontro entre os presidentes dos clubes deverá ser realizado no dia 7 de junho

Por Any Galvão
31/05/2024 • 14h46
Compartilhar

Nesta sexta-feira (31), o presidente do Comercial Esporte Clube, João Torres, participou do programa RCN Notícias, da TVC HD, Canal 13.1, para falar sobre o cenário esportivo em Mato Grosso do Sul., que está movimentado após a prisão do presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), Francisco Cesário.

Depois de 26 anos, a FFMS agora tem um novo presidente. Para João, que já está há muito tempo à frente do esporte em Três Lagoas, “nós como um clube filiado a FFMS desde 1995, recebemos essa notícia com tristeza no coração, porque vem de encontro com todas as coisas que não queríamos. O nosso esporte de MS se encontra em 25º posição de 27 federações, isso já não é bom. Agora com esse escândalo de corrupção e desvio de verba, essa situação é muito ruim”.

Há 42 anos no esporte, João explica que são poucas as federações ricas. As demais são consideradas pobres. “Não podemos só cobrar do presidente da federação que os clubes sejam organizados. Ela tem que dar um suporte e realizar eventos para os clubes, mas não é responsável por laudos de estádios, caixa do clube e organização. Nós temos que organizar para depois cobrar”.

JPNEWS: BANNER FAMÍLIA É TUDO 14.05 A 23.12.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estevão Petrallás foi o interventor indicado pela federação para assumir por um período de 90 dias. João comenta ter conversado com Estevão através do telefone e ter sido convidado para uma reunião em Campo Grande. Um encontro entre os presidentes dos clubes deverá ser realizado no dia 7 de junho para debater sobre a situação.

Confira a entrevista completa abaixo:

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas