Três Lagoas, 26 de outubro
26º C
(67) 99229-0519

Fiems recebe terreno para construir centro integrado

Prefeitura e Fiems assinaram nesta semana termo de doação de área

Por Talita Matsushita
11/10/2021 • 09h02
Compartilhar

A Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) e Prefeitura de Paranaíba assinaram nesta semana o termo de doação do terreno onde será construído o CISS (Centro Integrado SESI SENAI) na cidade.

A área de 8 mil metros quadrados está situada no Parque Industrial, ao lado das principais fábricas do município e com acesso à rodovia BR-158. O terreno foi escolhido após visita em seis áreas públicas sugeridas pela prefeitura.

Sérgio Longen agradeceu o empenho do chefe do Executivo Municipal em viabilizar, em conjunto com os vereadores, a doação da área ao Sistema Fiems, e afirmou que o futuro centro integrado trará mais competitividade às empresas de Paranaíba. 

JPNEWS: BANNER TRANSFORMAÇÃO DE 15.10 A 31.12.2021
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É com esse objetivo que nos comprometemos a qualificar as pessoas. Esse ‘apagão’ da qualificação é nacional, as demandas das empresas estão por todo lado, e nós precisamos fazer o atendimento conforme as necessidades de cada região”.

O prefeito Maycol Queiroz disse que a instalação do CISS de Paranaíba vai atender as carências da população, que busca qualificação profissional para atuar no setor industrial. “Será uma obra magnífica, fruto de 12 anos de luta da classe política e de anseios da população. Para chegarmos até aqui, contamos com o apoio da Câmara Municipal, que teve sensibilidade para aprovar por unanimidade e, em regime de urgência, o projeto de lei que autoriza a doação do terreno.

Agradeço ao presidente da Fiems, Sérgio Longen, por firmar essa aliança com o município e ao presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa, por fazer a interlocução entre a prefeitura e o Sistema Fiems”.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews